Julho 2018 – Formatura Escola de Fé e Vida

Julho 2018 – Formatura Escola de Fé e Vida
21 de setembro de 2018 admin

Turma 1 da Escola de Fé e vida em Cel Fabriciano-MG

Caminhada de 3 anos

DEPOIMENTOS

O que aprendemos com o estudo do CEBI

Dimensões:

  • Econômica: Aprendemos com as Tribos de Israel a colocar nossos dons a serviço de todos e administrar os recursos com sabedoria. Oferecendo a oportunidade do estudo da Bíblia a todos os paroquianos.
  • Política: A administração dos reis não foi uma unanimidade e quem pagou a conta foi o povo. Adquirimos essa visão critica e hoje vemos que o povo ainda continua pagando por pesados impostos e esses impostos continuam a manter uma seria de privilégios. A má gestão pública ainda é uma marca registrada de nossos governantes.
  • Sociedade: Quando nos organizamos ganhamos forças para alcançar nossos objetivos. Unidos venceremos. Não é assim, também, em nossas comunidades?
  • Religião: A religião pode ser aquela que liberta, abre os olhos do fiel para a realidade em que ele está inserido para ajudar a mudar essa realidade. A religião que aliena é aquela que coloca Deus muito longe de nós, fala muito de pecado, mas silenciam para o pecado da corrupção e fica em cima do muro. No início da formação do Povo de Deus haviam vários deuses e formas de oração e culto. Depois houve uma unificação para manter um projeto de vida do Deus da vida, Javé. O cristianismo também nasceu no berço da diversidade e foi se organizando e se estruturando, mas também excluindo. Hoje devemos ter um olhar mais compassivo para a diversidade ou estaremos fadados a sermos uma ilha. Para que isso não ocorra devemos respeitar as diversidades e manter a unidade que acolhe.
    Emiliano de S. Paula – 41 anos

O curso de Fé e Vida do CEBI-MG me proporcionou um conhecimento, um desvendar das escrituras, possibilitando um ministério da Palavra sem fanatismo, com o pé no chão e na realidade, não levando ninguém ao mesmo. Para mim foi muito bom, pois pensava a escritura como fatos vividos, como se fosse uma fotografia, mas foram experiências de vários povos. Portanto foi ótimo para a vida pessoal e para o meu ministério. Maria do Carmo Sá Garcia – 58 anos

Para mim o começo foi um pouco lento, com o passar do tempo, dos dias, foi crescendo cada vez mais a vontade de ler e conhecer a Bíblia. A caminhada não foi fácil, foi Jesus ao meu lado que não me deixou desistir. Cuido de uma mãe idosa e doente, quando ela dormia eu aproveitava para fazer a leitura dos textos, respondia as perguntas e anotava as dúvidas. Vou continuar nesta caminhada, pois, foi de muito conhecimento e prazer, fiz amizades e conheci assessores maravilhosos que nem tenho palavras para agradecer. Maria da Penha Silva – 53 anos.